Cromatografias2019-08-01T23:15:25+00:00

CROMATOGRAFIAS

Na NanoBusiness você encontra alternativas em Cromatografia para purificar, identificar e quantificar compostos químicos com exatidão.

Por ser um método amplo, possui diversas classificações e opções de análise, dentre as quais oferecemos:

CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA (CLAE/HPLC)

Indicada para separar e quantificar os componentes individuais de uma mistura, esta técnica conta com elevadas condições de resolução e detectabilidade, sendo um tipo avançado da Cromatografia Líquida (LC). Devido ao seu grande potencial analítico, tem sido amplamente utilizada para:

  • Quantificação e purificação de princípios ativos;
  • Identificação de Impurezas;
  • Determinação de composição ou formulação;
  • Estudos de estabilidade e degradação de um produto.

Por HPLC a separação pode ocorrer por partição, adsorção, troca iônica, exclusão por tamanho ou por diferença de afinidade, dependendo da composição da coluna e da mistura a ser separada.

Dentre os detectores disponíveis encontram-se os detectores UV (UV-visible) e DAD (diode array), onde é possível a análise de compostos com cromóforos, alta sensibilidade e possibilidade de eluição por gradiente; o detector RID (Refrative Index), conhecido como detector universal por apresentar resposta para qualquer espécie de amostra; e o detector ELSD (Evaporative Light Scattering), capaz de detectar compostos que não possuem cromóforos. [topo]

HPLC ACOPLADO À ESPECTROMETRIA DE MASSAS (HPLC-MS)

O sistema HPLC-MS combina as técnicas HPLC e MS (Espectrometria de Massas) em um processo onde os compostos são separados pelo método de cromatografia a líquido, e em seguida analisados por um detector de massas. Essa combinação reduz o erro experimental e melhora a precisão nos resultados, sendo útil em análises que envolvem um grande número de compostos.

Na indústria farmacêutica, o método é preconizado para a Identificação de Impurezas e Produtos de Degradação em conformidade com a RDC nº 53.  [topo]

CROMATOGRAFIA EM FASE GASOSA (CG)

A Cromatografia em fase Gasosa (CG) é indicada para a separação e análise de substâncias voláteis em matrizes complexas, na qual  o principal método de separação é pela interação dos componentes com a fase estacionária.

Tecnicamente, a amostra passa por um sistema de injeção onde as amostras líquidas são vaporizadas e, em seguida, é arrastada pela coluna cromatográfica por um gás inerte (geralmente hélio, hidrogênio ou argônio).

É aplicável em testes de pureza, separação de componentes de uma mistura, identificação ou preparação de compostos, entre outros.  [topo]

CROMATOGRAFIA GASOSA ACOPLADA À ESPECTROMETRIA DE MASSAS (CG-MS)

A combinação da cromatografia a gás com a espectrometria de massas proporciona maior precisão nas análises e reduz a probabilidade de erro, uma vez que é improvável que moléculas diferentes se comportem da mesma maneira em um cromatógrafo a gás e em um espectrômetro de massas.

Na Indústria Farmacêutica, o método é preconizado para a Identificação de Impurezas e Solventes Residuais. [topo]